Início   Mensagem   Cartas   Give a up
"Há metafísica bastante
em não pensar em nada."
Empatia
❝ 

Queria apenas devolver o sorriso de Andreza, sem seu sorriso era triste a noite e o mundo deserto e frio.

 ❞

— Jorge Amado, Dona Flor e seus dois maridos. (via sempreporperto)

❝ Para que queres tu mais alguns instantes de vida? Para de­vorares e seres devorado depois? Não estás farto do espetáculo e da luta? Conheces de sobejo tudo o que eu te dei de menos torpe ou menos aflitivo: o alvo do dia, a melancolia da tarde, a quietação da noite, os aspectos da terra, o sono, enfim, o maior benefício de minhas mãos. Que mais queres tu, sublime idiota? ❞

— Machado de Assis.   (via sempreporperto)

tragoe-die:

Jani! So viele notes!
Anonymous :  Cada um cabe a alegria e a dor de ser quem é

Depende

you do not need to constantly justify yourself. go ahead. eat pancakes. eat a ton at dinner. eat ice cream sundaes at 1am. take a rest day. take six rest days. sleep in. watch a movie. watch ten movies. no explanations needed. you’re allowed to be kind to yourself.

Anonymous :  Estou amando e me sinto ridícula, aargh

Hahahaha faz parte, faz parte

Anonymous :  Oi meu amor

Olá, você!

❝ Não sinto nada mais ou menos, ou eu gosto ou não gosto. Não sei sentir em doses homeopáticas. Preciso e gosto de intensidade, mesmo que ela seja ilusória e se não for assim, prefiro que não seja. Não me apetece viver histórias medíocres, paixões não correspondidas e pessoas água com açúcar. Não sei brincar e ser café com leite. Só quero na minha vida gente que transpire adrenalina de alguma forma, que tenha coragem suficiente pra me dizer o que sente antes, durante e depois ou que invente boas estórias caso não possa vivê-las. Porque eu acho sempre muitas coisas - porque tenho uma mente fértil e delirante - e porque posso achar errado - e ter que me desculpar - e detesto pedir desculpas embora o faça sem dificuldade se me provarem que eu estraguei tudo achando o que não devia. Quero grandes histórias e estórias; quero o amor e o ódio; quero o mais, o demais ou o nada. Não me importa o que é de verdade ou o que é mentira, mas tem que me convencer, extrair o máximo do meu prazer e me fazer crer que é para sempre quando eu digo convicto que “nada é para sempre. ❞

— Gabriel García Marquez